terça-feira, 23 de junho de 2015

Celpa inaugura nova sede em Altamira Com investimentos na ordem de R$ 38 mi no município, a concessionária inaugura nova sede e agência de atendimento



Nesta terça-feira, dia 23, aconteceu a inauguração da nova sede administrativa da Celpa no município de Altamira, localizado no sudoeste do estado. A cidade está incluída na Regional Centro – Oeste, da qual também fazem parte os seguintes municípios: Porto de Moz, Gurupá, Senador José Porfírio, Almerin, Vitória do Kingu, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará e Placas.

O novo prédio fica localizado na Rua 7 de setembro, número 2190, no bairro do Centro. Além da sede administrativa, o imóvel também terá anexado uma agência de atendimento com profissionais altamente capacitados para oferecer serviços como troca de titularidade, negociação de débitos, 2ª via de conta, entre outros.

As novas instalações têm mais de 370 metros quadrados e devem comportar cerca de 40 colaboradores, distribuídos nas áreas de Relacionamento com o Cliente, Gestão Comercial, Operação para Recuperação de Energia, Serviços Compartilhados, Expansão, Serviços de Rede, Operação e Manutenção.

Para o presidente da Celpa, Nonato Castro, a sede da concessionária no município é mais um avanço de melhorias para a região. “Estamos montando uma estrutura para oferecer conforto aos nossos colaboradores. O reflexo imediato disso será no atendimento ao cliente, que, sem dúvida, será melhorado. É um investimento que fazemos questão de apresentar, pois o resultado final visa o conforto ao cliente.”, avalia o presidente.

MELHORIAS - Ao longo de dois anos, os investimentos da Celpa em melhoria do sistema de Altamira somaram mais de R$ 38 milhões, que refletiram em ações direcionadas a manutenção da rede, atendimento ao cliente, ações de combate a perda de energia elétrica, entre outros. Os resultados foram expressivos na missão de oferecer um serviço de qualidade à população local.

Em 2014, a duração de interrupções do fornecimento de energia elétrica por unidade consumidora (DEC) em Castanhal reduziu em 54% comparado ao ano de 2013. Já em relação a frequência de interrupções do fornecimento por unidade consumidora (FEC), a redução foi de 30%. Em 2015, esses índices já se mostram favoráveis. Comparando o primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, é possível observar uma redução de 26% no DEC e de 28% no FEC.

Polícia Federal apreende 25 quilos de droga em Brasil Novo, PA Pasta base de cocaína foi encontrada em lataria de um carro. Condutor do veículo era foragido da justiça e foi preso.

Droga foi encontrada na lataria do carro. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)Droga foi encontrada na lataria do carro. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
A Polícia Federal apreendeu 25 quilos de drogas em Brasil Novo, no sudeste do Pará, durante uma fiscalização de rotina na BR-230. Os agentes abordaram um veículo e o condutor apresentou um documentos em nome de outra pessoa e disse que estava levando o carro de Porto Velho, em Rondônia, para Altamira. A informação divulgada nesta segunda-feira (22).
Após suspeitarem da história, os policiais levaram o homem até a delegacia, onde ele confessou que o documento era falso e que era foragido da Justiça de Itaituba. O carro foi então desmontado e os agentes encontraram 25,37 kg de pasta base de cocaína dentro da lataria. O homem foi preso e encontra-se à disposição da Justiça.
A operação foi realizada no sábado (20) por agentes da Polícia Federal lotados em Altamira.
Carro foi desmontado para que agentes achassem a droga. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)Carro foi desmontado para que agentes achassem a droga. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
G1PA 

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Área é desmatada no perímetro urbano de Altamira sem licença ambiental.

A secretaria de meio ambiente de Altamira embargou uma área desmatada irregularmente no perímetro urbano do município.

A área fica localizada próximo ao balneário do pedral , a derrubada de árvores é visível, de acordo com a secretaria de meio ambiente, em um balanço feito no local pelos ficais da SEMAT foi constatado que o desflorestamento não possuía licença da Secretaria de Meio Ambiente da cidade.   

Ainda de acordo com o secretário a documentação do terreno ainda não foi apresentada pela pessoa que se diz ser o proprietário do local, que deve ser multada, além de refazer toda área desmatada.

Por: Sidalécio Souza  e Junior Soares
Imagens: TV Altamira

Preso integrante da quadrilha que assaltou agências bancárias em Uruará

Na madrugada deste domingo, 21 de junho de 2015, a polícia conseguiu prender um homem que confessou ser integrante da quadrilha autora do assalto simultâneo audacioso a duas agências bancárias (banco da Amazônia e banco do Brasil) ocorrido no dia 10 de junho de 2015 na cidade de Uruará. O nacional, Ruben Cezar da Silva de 40 anos, foi preso ao deixar estacionado na Transamazônica o veículo que ele dirigia, o carro seria usado pelo bando para fugir do município e escapar da prisão. Ele estava parado ao lado da caminhonete L200 a qual havia deixado com o alerta ligado. Os Policiais militares que estavam acampanados no local suspeitando da situação abordaram o homem que argumentou aos policiais que o veículo estava aquecendo por isto havia parado ali, mas ao verificar a caminhonete os policiais constataram que não procedia a argumentação do suspeito e em seguida ele foi apresentado a Polícia Civil. Logo se descobriu que Ruben Cesar fazia parte da quadrilha, ele receberia R$ 10.000,00 para levar o carro e deixar no local combinado com o bando, km 201 da Transamazônica, a 21 km da cidade de Uruará, no local os assaltantes sairiam da mata e fugiriam no veículo. Após o motorista ter sido preso chegou a haver troca de tiros entre polícia e assaltantes durante a madrugada, mas o bando embrenhou-se na mata novamente. Cerca de 40 policiais com o apoio de uma aeronave procuram pelos assaltantes (que seriam 6 elementos) neste domingo, após a fuga dos mesmos ter sido frustrada.
O motorista preso revelou seu papel dentro da quadrilha de assaltantes. “Sou de Santarém, apenas vim deixar o carro pra eles ontem (sábado, 20). O Cearazinho me ligou. Eu receberia R$ 10.000,00 pelo trabalho. Ele (Cearazinho) me falou que são seis assaltantes que estão na mata. Em Santarém eu sou operador de motosserra, trabalho no mato e trabalhava também como moto táxi. Eu iria apenas deixar o carro no local combinado. Eu mantenho contato com o Cearazinho há dois meses, eu carregava ele de moto, eu trabalho também de moto táxi. Ele ficava hospedado no Hotel Barrudá lá em Santarém. O sinal que eu daria seria deixar o alerta do carro ligado aí eles saberiam que eu havia chegado com o carro e eu fiz isso. Eu peguei o carro na casa que ele (Cearazinho) alugou no Bairro Maracanã. Cheguei ontem a tarde aqui em Uruará”, detalhou.
O Investigador de Polícia Civil lotado na Delegacia de Polícia Civil de Uruará, Sílvio Alex contou sobre a prisão.
Os colegas da Polícia Militar estavam na estrada durante a madrugada, verificaram uma caminhonete que parou com o alerta ligado, eles chegaram para fazer a abordagem o motorista estava com uma garrafa de água dizendo que o carro tinha aquecido, eles deixaram o carro ligado e verificaram que o carro não estava aquecido e em seguida trouxe ele aqui para averiguação, nós investigamos e chegamos a conclusão de que ele (Rubens Cezar) foi quem veio aqui na cidade fazer o levantamento do banco, ele já confessou pra gente. No dia em que o carro forte chegou ele estava na cidade, ligou para o bando que estava próximo ao frigorífico (situado no travessão 180 norte a 3 km do centro urbano) desde a terça-feira, 09, e o local combinado pra que ele viesse buscar os vagabundos era no km 201 (da Transamazônica entre Uruará e Placas) a uns 100 metros da Vila Monte Sinai no 10º dia após o assalto por volta de meia noite quando o bando já estaria saindo do mato pra que eles pegassem o carro e descessem rumo a Itaituba. Esse carro L200 foi transferido para o nome dele a pedido do Cearazinho que é o líder desse bando, e ele ganhou R$ 5.000,00 pra transferir pro nome dele e ganharia mais 10 mil pelo resgate. Os policiais ficaram acampanados após feita a prisão do motorista. Os caras tinham um sinal pra passar pra ele (Ruben Cezar) quando ele  estivesse no carro, só que ele já estava preso e como ele não respondeu ao sinal os caras recuaram, ainda houve uma troca de tiros, mas eles (os assaltantes) se embrenharam na mata novamente. Agora durante o dia tem cerca de 40 policiais procurando por eles”, asseverou o investigador.
O assalto – Um bando fortemente armado invadiu simultaneamente as agencias do banco do Brasil e banco da Amazônia, situadas no centro da cidade de Uruará, e utilizando de escudo humano assaltaram as agências bancárias as 14 horas do dia 10 de junho de 2015. Para manter a polícia afastada eles atiravam a todo o momento, aterrorizando a população. Entre R$ 700 mil a R$ 1 milhão de reais foram levados pelo bando.
Por: Joabe Reis

Emater destaca avanços do setor produtivo na região do Xingu


A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) participa do Seminário de Desenvolvimento Econômico do Xingu, que reúne desde o último dia 16, em Altamira, diversos órgãos e entidades que atuam na elaboração e execução do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX).

Durante a 4ª mesa-redonda da programação, que debateu os "Instrumentos de Gestão para o Desenvolvimento Socioeconômico do Xingu", O supervisor do escritório regional da Emater em Altamira, médico-veterinário Almir Vasconcelos Uchôa Segundo, apresentou um relatório de ações consolidadas no ano de 2014, que incluem a realização de 5.629 Cadastros Ambientais Rurais (CAR), 760 Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP) e o cadastramento de 6.293 novas famílias, somando os atuais 11.794 produtores.

O município tem 276 créditos rurais elaborados, nos nove municípios integrantes da Regional Altamira - Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu, além da sede.

O objetivo é que os debates em torno do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX) ampliem os resultados que vem sendo obtidos por meio de um trabalho interinstitucional que engloba os diversos setores produtivos daquela região, para o estabelecimento de uma agenda estratégica.

AP

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Casal de Altamira é assaltado em Belém


Um casal que mora em Altamira, município do sudoeste do Pará, foi assaltado por dois bandidos na manhã de ontem próximo à Avenida Pedro Álvares Cabral, em Belém. José Ailton Silva da Silva, o “Ítalo”, de 34 anos, foi preso após ser reconhecido pelas vítimas, que estão na cidade a negócios. O crime foi cometido na companhia de um adolescente, que rendeu as vítimas com uma arma de fogo, mas nem o menor infrator e nem a arma foram apreendidos. As informações são de O Liberal.

A mulher conta que estavam numa concessionária de veículos, próximo da Pedro Álvares Cabral. Ao saírem do estabelecimento, caminharam por cerca de 50 metros até serem abordados pelos dois assaltantes. O bandidos disseram que iriam atirar no marido dela. Diante da agressividade e ameaças, entregaram bolsa, carteira, celulares, R$ 200 e as alianças de casamento. O marido ainda pediu ao menor os documentos. Depois de tirar o dinheiro, jogaram a carteira no
chão. “A bolsa, com meus documentos recuperamos depois. Mas
as alianças, celulares e dinheiro
não”, lamentou a mulher. Pouco tempo depois, policiais militares em ronda encontraram José Ailton e recuperaram a bolsa. Ele estava desarmado. Já respondeu antes por roubo (artigo 157 do Código Penal Brasileiro) e estava em liberdade. Andava com o alvará de soltura de setembro do ano passado. Apresentado na Seccional da Sacramenta, onde o caso foi registrado, novamente foi autuado, em flagrante, por roubo qualificado (pelo uso de arma, ameaças e associado a outra pessoa).

À reportagem, negou o assalto e disse que estava afastado do crime, trabalhando como ajudante
de pedreiro para sustentar a mulher e filho que moram com ele,
além de ter uma ex-mulher com quatro filhos. Ele reconheceu ser usuário de drogas, mas não quis dizer quais e nem dar mais informações sobre o caso. Apenas se defendeu dizendo que ele não era culpado do crime.

terça-feira, 16 de junho de 2015

Uruará: Major Márcio Abud diz que PM não foi comunicada do abastecimento bancário quarta-feira, dia do assalto

O comandante da 13ª Companhia Independe de Polícia Militar de Uruará Major Márcio Abud disse nesta segunda-feira, 15, que a Polícia Militar do município não foi avisada do abastecimento bancário realizado pelo carro forte na tarde de quarta-feira, 10, quando após o abastecimento houve o assalto as agências do banco da Amazônia e banco do Brasil cometido por bando fortemente armado. Segundo o major se o bando não for preso eles retornarão por terem informações privilegiadas.
A população precisa saber a verdade sobre o assalto, não quero aqui acusar ninguém, as investigações serão feitas pela Polícia Civil e Polícia Federal que estão aqui no município. Há 9 meses implantamos aqui um policiamento bancário e toda vez que vai chegar carro forte transportando grande quantidade em dinheiro para abastecer os bancos da cidade nós somos avisados pelo tesoureiro do banco do Brasil, e nós reforçamos a área, o CME, que é da Rotam, escolta o carro forte e nós temos conhecimentos que vai chegar esses valores de 2 milhões de reais, três milhões de reais, então há 9 meses que nós empregamos esse policiamento, quando arriscamos as nossas vidas. Ficam 4 a 5 policiais na frente do banco do Brasil, 4 a 5 na frente do banco da Amazônia e 4 a 5 na frente da Caixa Econômica, isso sempre quando haviam pagamentos altíssimos de 500 mil reais acima. Até pagamentos que saíam aos sábados nós éramos avisados e a viatura da PM sempre se fazia presente. Eu havia sido informado que na segunda-feira, dia 8, iria chegar uma quantidade grande de dinheiro para pagamento e nós fizemos todo aquele aparato policial. E também tomamos conhecimento de que na terça e quarta não haveria ter pagamento na cidade, só iria haver pagamento na quinta e sexta. Na terça-feira não teve pagamento, foi tudo tranqüilo, só que na quarta-feira para a surpresa nossa houve o abastecimento desse carro forte na Caixa Econômica Federal (para levar o dinheiro para o banco do Brasil e o banco da Amazônia), senhores, nós não fomos avisados de nada, mas mesmo não avisados todos os dias são empregados 16 a 20 homens de segunda a sexta na área bancária, nesse dia haviam 16 policiais militares. E nós não fomos avisados desse abastecimento de quarta-feira a tarde”, esclareceu.
O major questionou: “Por que não chegou essa informação para a polícia militar se a 9 meses nós vínhamos fazendo esse trabalho de policiamento bancário? E agora está aí no que deu e a população ficou prejudicada. Há um estrelismo muito grande e veja no que deu. A gente não quer aqui tirar a culpa da polícia militar, mas se tiver policiais na frente do banco eles não entram, mas depois que eles tomam as pessoas de refém não podemos fazer nada, não podemos atirar, a polícia não pode agir quando há refém. Então tem-se que investigar por que a PM não foi avisada, não vou acusar ninguém. Tudo que nós fizemos nos 9 meses de policiamento bancário foi por água a baixo porque não fomos avisados da situação. O valor levado (que seria de aproximadamente R$ 700.000,00) foi muito pequeno para a estrutura de assalto montada na quarta-feira era para levar 3 a 4 milhões de reais, o valor foi irrisório, eles foram certinho no Banco da Amazônia, foram certinho no banco do Brasil, como eles sabiam que o carro forte estava abastecido de dinheiro? Naqueles malotes poderiam estar cheques, boletos e notas velhas de dinheiro. Se não prender esses caras eles vão voltar aqui por terem informações privilegiadas, não estou aqui acusando ninguém, mas se não prender esses caras eles vão voltar de novo”, alertou o major.
O assalto a agência bancária do banco da Amazônia e banco do Brasil, ocorreu por volta das 14 horas de quarta-feira, 10 de junho de 2015. A polícia continua com as buscas aos assaltantes que na fuga entraram na vicinal do km 190 norte da Transamazônica, zona rural de Uruará e lá se embrenharam na floresta.